Alessandro Molon | Deputado federal pelo Rio de Janeiro | Mesmo com provas fartas, Câmara barra mais uma denúncia de corrupção contra Temer e ministros
29857
post-template-default,single,single-post,postid-29857,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-6.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.11.2,vc_responsive

Mesmo com provas fartas, Câmara barra mais uma denúncia de corrupção contra Temer e ministros

13 novembro, 2017 Mesmo com provas fartas, Câmara barra mais uma denúncia de corrupção contra Temer e ministros

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 251 votos a favor e 233 contra, a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), desta vez por organização criminosa e obstrução de justiça. Temer teve 12 votos a menos que na primeira denúncia, mas foi salvo mais uma vez. Para Molon, o resultado foi vergonhoso.

– Um governo que gasta bilhões em emendas, negocia legislação, comercializa o meio ambiente e ainda procura acabar com o combate ao trabalho escravo para tentar comprar votos, mas não consegue nem a maioria absoluta dos votos no plenário, mostra que o que estamos vendo é um governo moribundo à espera do fim do mandato. O governo já acabou – disse Molon.

Siga @alessandromolon no Twitter
Acompanhe pelo Facebook
Adicione Molon no Instagram

Molon votou contra o parecer do relator, colocando-se a favor das investigações, pois acredita que todas as provas contra Temer e os ministros são incontestáveis. O deputado também lembrou em pronunciamentos os esforços que Temer tem feito, à despeito da crise econômica, para manter-se na Presidência da República: estima-se que os custos para salvar-se da investigação tenham custado R$ 32 milhões aos cofres públicos.

– Falta dinheiro nos hospitais, para atuar com mais eficiência na segurança pública, para melhorar a educação, mas não para impedir Temer de responder por seus crimes – criticou Molon.

Nesta terça-feira (24), a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar à
Aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) contrariando todas as evidências apresentadas, o relatório
O júri do Prêmio Congresso em Foco, o mais importante da política brasileira, coroou na
O deputado federal Alessandro Molon (Rede) protocolou primeiro pedido de impeachment contra o presidente Michel