Alessandro Molon | Deputado federal pelo Rio de Janeiro | [O GLOBO] Pré-candidato, Molon negocia aliança com PV e PPS
26320
post-template-default,single,single-post,postid-26320,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-6.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.4,vc_responsive

[O GLOBO] Pré-candidato, Molon negocia aliança com PV e PPS

04 junho, 2016 [O GLOBO] Pré-candidato, Molon negocia aliança com PV e PPS

O deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) se reúne na próxima segunda-feira com PV e PPS para tentar fechar uma aliança em torno de sua pré-candidatura à prefeitura do Rio.

— Não é tarefa fácil vencer eleição no Rio de Janeiro contra a máquina do PMDB, contra a força e o dinheiro do PMDB, então é preciso que essa conversa (Rede, PCdoB, PSOL e PT) seja ampliada, que envolva outras forças progressistas e envolva também aqueles que não se identificam com nenhuma força política. A representação (política) está em crise, os partidos políticos todos estão em crise, é preciso conversar sobretudo com quem não se identifica com nenhum partido político — disse Molon, após reunião com os Marcelo Freixo (PSOL) e Jandira Feghali (PCdoB).

Siga @alessandromolon no Twitter
Acompanhe pelo Facebook
Adicione Molon ao seu círculo no Google+

Molon foi o deputado federal mais votado pelo PT no Rio e deixou o partido no ano passado, após 18 anos. Ele não tinha apoio na legenda para disputar a prefeitura, porque o partido estava fechado com o PMDB. Ao se filiar à Rede, Molon afirmou, na ocasião, ter tomado a decisão por não perceber no horizonte possibilidades reais de serem feitas correções de rumos necessárias para o PT, em uma referência aos escândalos de corrupção que atingiram o partido nos últimos anos.

Ele enfrenta resistência em parte do eleitorado de esquerda pelo fato de a ex-senadora Marina Silva, fundadora da Rede, ter apoiado o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no segundo turno das últimas eleições presidenciais. Aliados de Molon minimizam esse fato, afirmando que a trajetória do deputado é conhecida. A aposta do ex-petista é conquistar também o eleitorado de centro. Dividida no primeiro turno, a esquerda aposta na profusão de candidaturas para levar a disputa para o segundo turno. Nesse caso, seria formada uma frente anti-PMDB.

o globo rio pv e pps

Por: Fernanda Krakovics
FONTE: O GLOBO

Olá, tudo bem? Você que nos acompanha sabe que o ano de 2016 tem sido
A bancada federal fluminense pressionará o Ministério de Minas e Energia a apoiar a revisão
A participação da sociedade pode produzir leis melhores e, por isso, fortalece também a democracia